Perfil Profissional

CRM: 108.888/SP

BREVE TRAJETÓRIA PROFISSIONAL

Em 2002 concluiu a faculdade de Medicina, fez 2 anos de residência em pediatria e mais 3 anos de oncologia pediátrica atuando durante 10 anos em hospitais públicos na área.

Em 2014 após concluir a pós-graduação em Bases de Medicina Integrativa fez a transição de carreira passando a atuar na área de promoção de saúde e prevenção de doenças na oncologia em 2015.

Assumiu a coordenação da pós-graduação de Bases de Saúde Integrativa e Bem-Estar do Einstein em 2016.

Desde 2019 integra a equipe de Promoção da Saúde, Bem-estar e Saúde mental da Saúde Populacional do Einstein, responsável pela Medicina e Saúde Integrativa na área de projetos e programas para colaboradores e lideranças no ambiente de trabalho.

Na pandemia da COVID-19, atuou no Hospital de Campanha do Pacaembu com a equipe com ações voltadas para os colaboradores e passou a fazer lives com palestras nos temas da Medicina e Saúde Integrativa, Promoção da Saúde e Bem-Estar, Saúde Mental e Autocuidado, sempre buscando a interação com o público e o compartilhar de histórias.

Atualmente tem interesse na interface Saúde e Natureza, nas práticas para a Cultura da Paz e na metodologia do Design Thinking como formas de promover a saúde e o bem-estar através do autocuidado.

FORMAÇÃO ACADÊMICA

  • Graduação em Medicina pela Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, tendo realizado Residência Médica em pediatria no mesmo serviço.
  • Pós-graduação em Bases de Medicina Integrativa pelo Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE). SP
  • Pós-graduação em Medicina Paliativa pelo Instituto Paliar e Centro Universitário São Camilo. SP
  • Título de Especialista em Oncologia Pediátrica pela Sociedade Brasileira de Cancerologia. Atuou durante dez anos na área de Oncologia Pediátrica, em hospitais de grande porte como GRAACC e Hospital Santa Marcelina. Durante seis anos atuou no GRENDACC em Jundiaí como oncopediatra, além de ter sido Professora Colaboradora na Faculdade de Medicina de Jundiaí. Atuou como oncopediatra no primeiro hospice pediátrico para crianças com câncer – TUCCA.
  • Título de Especialista em Pediatria pela Sociedade Brasileira de Pediatria.
  • Pós-graduação em Psico-oncologia pelo Hospital Pérola Byington.
  • Formação em Coaching Ontológico pelo Instituto Appana.
  • Capacitação em Hatha Yoga pelo Instituto de Ensino e Pesquisa em Yoga (IEPY) com professor Marcos Rojo.
  • Cursos de Comunicação Não-Violenta pela Associação Palas Athena com professor Silvio Barros.
  • Curso de Práticas Contemplativas I pela Associação Palas Athena com a professora Lia Diskin.
  • Formação em Foundations In Design Thinking pela IDEO.
  • Formação atual em Cultura da Paz e Tecnologias da Convivência pela Associação Palas Athena 2021.

Para currículo na íntegra, acesse http://lattes.cnpq.br/4649725757079529

ATIVIDADES ATUAIS

  • Atualmente é médica da Saúde Populacional do Hospital Israelita Albert Einstein (HIAE) em São Paulo, sendo a médica responsável pela Medicina e Saúde Integrativa na área da Promoção da Saúde, Bem-Estar e Saúde Mental.
  • Realiza consultas com abordagem de Medicina e Saúde Integrativa com foco no autocuidado e autoconhecimento, oferecendo um espaço de escuta e presença para co-construir um caminho possível e individualizado em parceria com os profissionais adequados.
  • Faz parte da coordenação da pós-graduação lato sensu em Bases de Medicina Integrativa do Instituto Israelita de Ensino e Pesquisa Albert Einstein (IIEPAE) em São Paulo.
  • Atua como docente nos temas de medicina e saúde integrativa; promoção da saúde e bem-estar; saúde mental e autocuidado; saúde integrativa nas organizações; resiliência e saúde integrativa; estratégias em saúde mental, equilíbrio e bem-estar para líderes; saúde integrativa e natureza.
  • Faz parte do corpo docente nos programas de pós-graduação lato sensu de Estudos Avançados em Saúde Integrativa e Bem-Estar, Odontologia Hospitalar, Oncogenética, Gestão de Pessoas e do curso de Saúde Mental nas Organizações do Hospital Israelita Albert Einstein- IIEPAE- SP.
  • É palestrante e difusora de informações no âmbito da Medicina e Saúde Integrativa em congressos e simpósios médicos, de enfermagem e de outras áreas como facilities, arquitetura, educação.

ÁREAS DE INTERESSE

  • Medicina Integrativa: abordagem centrada na parceria entre o paciente e o profissional da saúde com o objetivo de encontrar as melhores formas de tratamento com evidências científicas de segurança e eficácia, incentivando a autonomia, o autocuidado e o bem-estar da pessoa, de forma interdisciplinar.
  • Oncologia Integrativa: ramo da Medicina Integrativa que integra ao tratamento oncológico convencional as práticas complementares, com evidências positivas, segurança e eficácia.
  • Survivorship Oncologia: consiste na área voltada para o período pós-tratamento oncológico, para os pacientes e seus familiares. O término do tratamento onco-hematológico geralmente representa um novo período na vida dos pacientes com câncer e muitas vezes “voltar à vida normal” torna-se um novo desafio. Com o intuito de acolher as demandas deste indivíduo ao final do tratamento, as clínicas survivorship foram idealizadas nos EUA e Europa para atuar na melhora da qualidade de vida desses pacientes.
  • Oncologia e oncologia pediátrica
  • Psico-oncologia
  • Medicina Paliativa

Medicina Integrativa

A Medicina Integrativa é uma abordagem centrada na parceria entre o paciente e o profissional da saúde, com o objetivo de encontrar as melhores formas de tratamento com evidências científicas de segurança e eficácia, incentivando a autonomia, o autocuidado e o bem-estar da pessoa, de forma interdisciplinar.

O Consórcio de Centros Acadêmicos de Saúde para Medicina Integrativa, nos Estados Unidos, que reúne mais de 60 instituições dedicadas ao avanço da medicina e saúde integrativa através de instituições acadêmicas e sistemas de saúde define:

“Medicina integrativa é a prática da medicina que reafirma a importância da relação entre o paciente e o profissional de saúde, é focada na pessoa em seu todo, é informada por evidências e faz uso de todas as abordagens terapêuticas adequadas, profissionais de saúde e disciplinas para obter o melhor da saúde e cura (health and healing)”.

Um dos maiores desafios da Medicina Integrativa é não ser a simples oferta de terapias complementares ao tratamento convencional. É necessário compreender quem é a pessoa em seu todo, incluindo aspectos como sua história de vida, seus hábitos alimentares, suas atividades diárias, seus relacionamentos sociais e com o meio ambiente, sua espiritualidade e aquilo que fizer sentido para ela no seu autocuidado.

A partir daí, incluir informações sobre sua doença ou queixas para integrar a melhor seleção de terapias para ela, sejam elas convencionais ou complementares, respeitando a individualidade da pessoa e incentivando sua autonomia e sua participação ativa no processo de recuperação.

COMO ATUA A MEDICINA INTEGRATIVA

  • A saúde é vista como um estado vital de bem-estar físico, mental, emocional, social e espiritual, que capacita a pessoa a estar engajada em sua vida.
  • O médico atua como parceiro no processo de cura e na saúde.
  • O paciente informado é parte do processo de decisão do plano de tratamento.
  • As intervenções são dirigidas para tratar a doença, bem como para assistir a pessoa como um todo: abordando todos os aspectos que influenciam o processo da doença e da cura.
  • Os pacientes são orientados a reconhecer, administrar e diminuir os fatores estressantes.
  • Os pacientes recebem orientações nutricionais: os alimentos são considerados agentes fundamentais na promoção de doença e saúde.
  • O impacto das influências sociais no processo de adoecimento e na saúde é considerado e incluído no plano de tratamento.
  • As influências ambientais no processo de cura e na saúde são abordadas, investigadas e consideradas no plano de tratamento.
  • O plano de tratamento é compartilhado e integrado entre todos os profissionais de saúde envolvidos.
  • A cada paciente é desenvolvido um plano de tratamento individualizado, baseado em suas demandas e necessidades.
  • A promoção de saúde e a prevenção são enfatizadas no plano de tratamento.
  • Todas as abordagens terapêuticas, profissionais de saúde e disciplinas são consideradas.

A diferença entre Medicina Alternativa e Medicina Integrativa

É importante diferenciar os termos “Medicina Alternativa” e Medicina Integrativa, pois alternativo é deixar de usar um método em detrimento de outro, em contraposição e substituição ao convencional e isto não deve ser confundido com Medicina Integrativa.

A Medicina Integrativa está dentro do âmbito da Medicina convencional, contextualizada dentro de nosso sistema de saúde, sempre baseada em critérios de evidências e em conformidade com o determinado pelo Conselho Federal de Medicina.

Práticas e terapias integrativas

A Medicina Integrativa inclui na sua abordagem práticas integrativas que podem ser utilizadas de forma complementar, como Yoga, meditação, técnicas de respiração, relaxamento, Homeopatia, entre outras.

No Brasil, o Ministério da Saúde aprovou a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no SUS em 2006, em virtude da demanda crescente e de acordo com as recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS).

Temas Abordados na Consulta

  1. Autocuidado: pode ser definido como a prática de atividades que indivíduos iniciam e realizam em seu próprio favor para manter a vida, a saúde, e o bem-estar. Pode incluir desde higiene pessoal como escovar os dentes até a espiritualidade, a relação com o meio e com as pessoas ao seu redor, hábitos alimentares, atividade física, qualidade de sono, uso de práticas ou terapias complementares.
  2. Gestão de estresse: como lidar com o estresse crônico do dia-a-dia, as evidências de práticas de gestão de estresse e sua relação com a manutenção da saúde.
  3. Práticas e terapias integrativas: quais indicadas e como executar
  4. Interdisciplinaridade: a importância de integrar o cuidado com os diversos profissionais envolvidos.
  5. Escuta: espaço para compartilhar histórias e experiências vividas.
  6. Prevenção e promoção da saúde: ampliar o olhar para as prioridades das escolhas e atitudes com foco na saúde.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS

  1. Lima P T R. Medicina integrativa: a cura pelo equilíbrio. MG Editores, 2009.
  2. Lima P T R. Medicina Integrativa. 1 ed. Renata Dejtiar Waksman OGDF, editor. Barueri – São Paulo 2015. 260 p.
  3. Abrams D, Weil A. Integrative oncology. Second edition ed: Oxford University Press; 2014.
  4. Foxhall LE, Rodriguez MA. Advances in cancer survivorship management. Springer; 2015.
  5. Política Nacional de práticas integrativas e complementares no SUS-PNPIC-SUS: Embrapa Informação Tecnológica; 2006.
    http://dab.saude.gov.br/portaldab/pnpic.php
  6. Medicina Integrativa no Centro de Oncologia e Hematologia do HIAE
    https://www.einstein.br/especialidades/oncologia/conheca-oncologia-einstein/medicina-integrativa
  7. Pós-graduação lato sensu em Bases de Medicina Integrativa
    https://www.einstein.br/ensino/
    pos_graduacao/bases_da_medicina_integrativa_sp
  8. Academic Consortium of Integrative Medicine and Health
    http://imconsortium.org/
  9. National Center for Complementary and Integrative Health
    https://nccih.nih.gov/health/safety
  10. Integrative Medicine Arizona University
    https://integrativemedicine.arizona.edu/
  11. Integrative Medicine Center MD Anderson Cancer Center
    https://www.mdanderson.org/patients-family/diagnosis-treatment/care-centers-clinics/integrative-medicine-center.html
  12. Integrative Medicine Duke University
    https://www.dukeintegrativemedicine.org/
  13. Integrative Medicine Memorial Sloan-Kettering Cancer Center
    https://www.mskcc.org/cancer-care/diagnosis-treatment/
    symptom-management/integrative-medicine
  14. MD Anderson Cancer Center Survivorship
    https://www.mdanderson.org/patients-family/life-after-cancer.html

Formulário
de Contato

*Preencha os campos obrigatórios